quinta-feira, 28 de julho de 2016

Granizado de Melancia e Manjericão





Receita Granizado de Melancia e Manjericão

Ingredientes (2 pessoas):
500g de Melancia (sem casca nem pevides)
1 Limão (raspa e sumo)
1 c.sopa de Mel
4 Folhas de Manjericão

Confecção:
No copo do robot de cozinha colocar a melancia cortada aos pedaços, a raspa e sumo de limão, o açúcar e as folhas de manjericão e triturar 15 segundos / velocidade 8.
Programar 8 minutos / 80ºC / velocidade 1.
Deixar arrefecer e colocar em covetes ou sacos de gelo para ir ao congelado.
Depois de congelado, colocar os cubinhos no robot de cozinha, programar 10 segundos / velocidade 10.
Distribuir pelos copos e servir de imediato. 





quarta-feira, 27 de julho de 2016

Posta da Vazia à Portuguesa






Receita Posta da Vazia à Portuguesa

Ingredientes:
3 Bifes de Novilho da Vazia (cerca de 250g cada)
1 Molho de Grelos
3 Fatias de Presunto
3 Ovos
200ml de Vinho Branco
6 a 8 Dentes de Alho q.b.
Azeite q.b.
Sal q.b.
Pimenta Preta q.b. 

Confecção:
Temperar os bifes de novilho com sal e pimenta acabada de moer. Regar com o vinho e deixar a marinar no frigorífico.
Arranjar, lavar e cozer os grelosem água temperada com sal. Depois de cozidos, rejeitar a água e reservar os grelos.
Numa frigideira anti aderente colocar um fio de azeite e fritar as fatias de presunto de ambos os lados. Reservar as fatias de presunto.
Acrescentar 3 a 4 dentes de alho picados à frigideira.
Com a frigideira bem quente selar os bifes de ambos os lados e deixar fritar mais ou menos tempo, dependendo se gostar mais ou menos passado.
Saltear os grelos numa frigideira com um pouco de azeite e com os restantes dentes de alho picados finamente.
Estrelar os ovos em azeite. 
Servir a posta de vazia, sobre uma cama de grelos e por cima uma fatia de presunto e um ovo a cavalo.

Nota:

  • Para acompanhar as guarnições podem variar, desde batata frita, arroz branco, batatinha nova cozida com pele. 





 



segunda-feira, 25 de julho de 2016

Bolo Chiffon de Alfarroba





Receita Bolo Chiffon de Alfarroba

Ingredientes Bolo:
7 Ovos
300g Açúcar
1 c.café Flor de Sal
50g Farinha de Alfarroba
3 c.sopa Água (morna)
100ml Óleo de Girassol
175g Farinha sem Fermento
1 c.chá Fermento em Pó

Ingredientes Ganaché:
200g Chocolate Barra 70% Cacau
200ml Natas de Soja
1 c.sobremesa Óleo de Girassol

Confecção Bolo:
Na taça da batedeira colocar os ovos, o açúcar e a flor de sal.
Bater bem até obter uma mistura esbranquiçada. 
Adicionar a farinha de alfaroba, a água, o óleo e bater cerca de 20 minutos. 
Juntar a farinha e o fermento previamente peneirados.
Envolver delicadamente com ajuda de um fouet (vara de arames). 
Deitar a mistura numa forma de silicone ou de alumínio untada com margarina e polvilhada com farinha. 
Levar a forno pré aquecido nos 180ºC, cerca de 20 a 25 minutos.
Verificar a cozedura com o teste do palito. 
Retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer antes  de regar com a ganaché. 

Confecção Ganaché:
Colocar no copo do robot de cozinha, o chocolate partido em quadrados.
Programar 10 segundos / velocidade 5 para picar.
Juntar as natas e o óleo, programar 5 minutos / temperatura 50ºC / velocidade 2. 





Parceiro do Blog - EuroFumeiro



É com muito orgulho e uma enorme satisfação que vos apresento mais uma parceria.




“A empresa Eurofumeiro – Sociedade Industrial de Transformação de Carnes, Lda., foi constituída em 1993 e iniciou a sua atividade um ano mais tarde, em 1994, depois de estar operacional.
O objetivo da Eurofumeiro é o fabrico de Alheiras.
A Eurofumeiro desde o dia da sua abertura, presa muito a qualidade dos seus produtos, tendo, com isso, obtido sucesso no Mercado, melhorando as vendas e conquistando novos mercados.
A Eurofumeiro pretende desenvolver novos produtos que consigam atingir novos nichos de mercado e trazer novos desafios e benefícios à empresa. Um exemplo é a inovação de produtos que vai realizando ao longo dos anos tais como (Alheiras de bacalhau, Vegetariana, Light etc.) de modo a atingir públicos variados.
No desenvolvimento da sua missão a Eurofumeiro pratica a sua atividade por um conjunto de valores marcantes da sua cultura organizacional:


  • Liderança;
  • Ética;
  • Justiça;
  • Evolução;
  • Sabor;
  • Tradição;
  • Informação;
  • Qualidade;
  • Criatividade;
  • Higiene.”

Para conheceres um pouco mais desta excelente empresa visita o site. Acompanha todas as novidades na página de facebook
Vale a pena estreitar algumas das notícias que encontramos pela internet:

  • http://atelier.arteazul.net/index.php/pt-PT/jornal/opiniao/1949-alheira-de-mirandela 
  • https://www.youtube.com/watch?v=OQ0czXPQjso

Agradeço a toda equipa da Eurofumeiro os miminhos que me foram enviados, em especial à Sra. Cátia Dinis por toda a simpatia e disponibilidade. 











Os miminhos recebidos:

  • 4 Alheiras de Mirandela IGP
  • 4 Alheiras Detinha
  • 4 Alheiras Light
  • 4 Alheiras Vegetariana
  • 4 Alheiras Picante
  • 4 Alheiras de Caça
  • 1 Recheio de Alheira

Não percas as próximas receitas!!









domingo, 24 de julho de 2016

Tatin de Portobello com Presunto





Receita Tatin de Portobello com Presunto

Ingredientes:
1 Massa Folhada Redonda
1 Embalagem de Cogumelos Portobello
75g de Presunto
220g de Couve Coração
Azeite q.b.
Sal q.b.
Pimenta Preta q.b.
Ervas de Provence q.b.

Confecção:
Forrar uma tarteira com papel vegetal.
Limpar os cogumelos com papel de cozinha.
Retirar os pés e escavar cuidadosamente um pouco o interior com ajuda de uma colher.
Dispor os chapéus dos cogumelos na tarteira com a cavidade virada para cima, temperar com um pouco de sal e reservar.
Picar grosseiramente os pés dos cogumelos e a restante que foi escavada.
Pré aquecer o forno a 220ºC.
Numa frigideira, alourar o presunto cortado aos cubinhos com um fio de azeite.
Acrescentar os cogumelos picados e a couve coração cortada em juliana. Saltear em lume forte, sem deixar queimar. 
Temperar com uma pitada de sal, pimenta preta acabada de moer e ervas de provence.
Dividir o recheio pelos chapéus dos cogumelos.
Cobrir os cogumelos com a massa folhada, 
Fazer um pouco de pressão para a massa folhada aderir bem às bordas e um pouco à volta de cada cogumelo.
Picar toda a superfície da massa folhada com um garfo.
Levar ao forno cerca de 20 minutos, até a massa ficar bem douradinha e estaladiça.
Servir de imediato com salada a gosto.





sexta-feira, 22 de julho de 2016

Parceiro do Blog - Gumelo


Junta se um biólogo, um designer, um farmacêutico... e crescem cogumelos.

Neste caso nasce a Gumelo, uma empresa portuguesa ecológica e sem desperdícios,  o novo parceiro do blog.




O Gumelo é um cogumelo da espécie Pleurotus, pronto a crescer e apenas requer 1 minuto de atenção por dia.
O substrato usado é constituído exclusivamente por borra de café, transformando o que era desperdício num alimento com alto teor nutritivo.

A ideia surgiu depois de João Cavaleiro ler um artigo científico sobre o cultivo de cogumelos em resíduos produzidos pela industria do café, criando depois a sua própria fórmula. A este projecto juntou se Tiago Marques e Rui Apolinário, lançando oficialmente o Eco Gumelo em 2012.

Para conheceres melhor esta excelente empresa visita o site. Acompanha também todas as novidades na página de Facebook
Vale a pena estreitar algumas das notícias que encontramos pela internet:

  • http://www.hipersuper.pt/2015/05/04/startup-portuguesa-gumelo-e-um-caso-de-estudo-na-europa/
  • http://lifestyle.sapo.pt/sabores/novidades/artigos/os-cogumelos-que-saltam-da-caixinha
  • http://www.nos.pt/empresas/repositorio-informacao/criar-uma-empresa/casos-sucesso/Pages/gumelo.aspx
  • http://media.rtp.pt/praca/rubricas/dicas/gumelo-os-cogumelos-que-saem-da-caixinha/


Agradeço à equipa do Gumelo o miminho que me foi enviado, toda a disponibilidade, profissionalismo e simpatia.


quinta-feira, 21 de julho de 2016

Bolo de Abóbora e Laranja com Chocolate (Casa Grande Chocolatier)





Receita Bolo de Abóbora e Laranja com Chocolate (Casa Grande Chocolatier)

Ingredientes:
5 Ovos
350g de Açúcar Amarelo
250g de Manteiga
400g de Abóbora (limpa de casca e sementes)
1 Laranja (Raspa e Sumo)
400g de Farinha de Trigo Sem Fermento
1 c.sobremesa de Fermento em Pó
200g de Chocolate Tablete de Culinária Deli&Co (Casa Grande Chocolatier)
100g de Natas

Confecção:
Pré aquecer o forno a 180ºC.
No copo do robot de cozinha (ou num liquidificador), colocar os ovos e o açúcar e programar 2 minutos / velocidade 4.
Adicionar a manteiga e a abóbora cortada em pedaços. Programar 1 minuto / velocidade 4 até 8 progressivamente.
Acrescentar o sumo e a raspa de laranja, misturar cerca de 10 segundos / velocidade 4.
Por fim a farinha e o fermento previamente peneirados. Programar 30 segundos / velocidade 4.
Colocar a massa numa forma de silicone ou outra previamente untada de manteiga e farinha.
Levar a cozer no forno cerca de 45 minutos, verificar a cozedura com o teste do palito.
Retirar o bolo do forno, desenformar e deixar arrefecer.
Derreter o chocolate conforme indicação da embalagem, adicionar e envolver bem as natas.
Regar o bolo com o chocolate derretido e servir.






terça-feira, 19 de julho de 2016

Pizza Toscana





Receita Pizza Toscana

Ingredientes: 
1 Massa Base da Pizza (receita aqui)
Molho de Tomate q.b. (receita aqui)
300g de Queijo Mozzarella Ralado
6 Salsichas Toscanas
Azeitonas Descaroçadas às Rodelas q.b.
1 Cebola Pequena
Oregãos q.b.

Confecção:
Preparar o molho de tomate e a massa base da pizza conforme as receitas.
Numa frigideira pequena, colocar um fio de azeite e cozinhar as salsichas em lume médio/baixo até ficarem douradinhas.
Fatiar as salsichas na diagonal e reservar.
Descascar, lavar e fatiar finamente a cebola. Reservar.
Pré aquecer o forno a 220ºC.
Dar o formato de pizza à massa.
Pincelar a massa com molho de tomate a gosto.
Dispor por cima do molho de tomate os ingredientes pela seguinte ordem: o queijo mozzarella ralado, as salsichas fatiadas, a cebola fatiada e as azeitonas descaroçadas às rodelas a gosto.
Levar ao forno a cozer até a pizza ficar douradinha a gosto. 
Retirar do forno e polvilhar com oregãos.
Servir de imediato. 





Parceria - Bom Sucesso (Orivárzea)



Vamos Petiscar e saborear bago a bago uma nova parceria juntos?
Vem conhecer uma grande empresa que tem um enorme orgulho de ter nascido nas Lezírias Ribatejanas.




"A história da Orivárzea começa em 1997, quando um grupo de 10 dos mais importantes orizicultores da Lezíria Ribatejana decide dar as mãos e juntar as forças para produzir e comercializar um arroz de excelência com qualidades únicas, e fazê-lo chegar ao consumidor final a preço justo.

 A rentabilização dos meios de produção, e o acerto de um projecto fundado no espírito de solidariedade e entreajuda, rapidamente atraíram novos agricultores que foram crescendo através dos anos até chegarem aos actuais 37 associados com 5000 hectares semeados. Todos Ribatejanos, todos produtores de arroz, todos fiéis aos princípios de certificação que garantem um arroz muito acima dos padrões oficiais de qualidade e com um controle absoluto do processo produtivo, desde a semente, produzida pela Orivárzea, até à embalagem na prateleira do supermercado.

 Mas a tradição da Orivárzea nasceu muito antes de 1997. Berço privilegiado do cultivo de arroz em Portugal desde finais do século XIX, a Lezíria Ribatejana viu passar pelas suas largas planícies gerações de agricultores a quem o tempo e a prática ensinaram os segredos da orizicultura de excelência no estuário do Tejo.

 Descendentes destes pioneiros, e com uma herança já secular na produção e comercialização de um arroz tradicional, os associados da Orivárzea entram no mercado do século XXI com pergaminhos de antiguidade e visão de futuro, fazendo desta marca uma referência na produção de arroz de grande qualidade, não só em Portugal como em toda a Europa. A qualidade do Arroz Carolino produzido pela Orivárzea na Lezíria Ribatejana é de tal forma distintiva, que para além do mercado nacional o produto é hoje exportado para os mercados da Suíça, Polónia e Bélgica.

 Além disso, empresas tão exigentes como a Danone/Milupa e BENEO-Remy, referências no mercado da alimentação infantil, confiam hoje na qualidade do arroz Orivárzea como matéria prima selecionada para a rigorosa preparação dos seus produtos.

 É claro que, como quase todos os produtos excepcionais, o segredo da Orivárzea está no cuidado que uma quantidade limitada permite dedicar a todas as fases da produção. É que ao contrário da generalidade das marcas de arroz disponíveis no mercado, o arroz produzido pela Orivárzea é inteiramente cultivado pelos seus associados na Lezíria Ribatejana. Sendo a sua produção limitada, e uma vez que a Orivárzea nunca adquire arroz de outros produtores, a colheita de cada ano pode esgotar no fim do Verão. A nova Colheita chega ao mercado no Outono.



Arroz Carolino
Um arroz da variedade japónica, mais volumoso e aveludado, que incha mais e cria mais goma que as outras variedades, o Carolino é o tipo de arroz mais genuinamente português e o que melhor se adequa à nossa tradição gastronómica. As suas características fazem com que absorva como nenhum os outros aromas e sabores dos temperos e ingredientes com que é cozinhado. É por isso o arroz ideal para a preparação de pratos tradicionais portugueses, como todos os pratos de arroz malandrinho, molhado e espesso, e o arroz doce.

Arroz Agulha

Um arroz da variedade índica, originário dos países do sul e do sueste asiáticos, o Agulha é um arroz de grão fino e longo, vítreo e consistente. O resultado é um arroz que coze mais rapidamente mas sem absorver os temperos, ficando solto e seco. O seu sabor neutro faz dele o arroz ideal para ser servido branco, a acompanhar pratos de carne ou de peixe.



Arroz Aromático

Também de variedade índica, o arroz Aromático deve o seu nome ao perfume que exala no momento da cozedura. É muito associado à cozinha indiana e tailandesa e embora intenso, o seu aroma não se traduz em sabor no prato, uma vez que o seu bago tem um sabor neutro. Tem cozimento rápido e um bago fino e solto, mas de consistência macia. É ideal como acompanhamento de pratos exóticos muito condimentados, como o caril, a cozinha africana e os grelhados orientais.

Arroz Integral

Riquíssimo em fibras, o Bom Sucesso Integral é um arroz Carolino ao qual não foi retirada a película protectora durante o processo de branqueamento. O resultado é um bago de cozedura mais lenta, mas de alto valor nutritivo graças aos nutrientes que se encontram na casca: fibras, vitaminas, minerais e óleos essencias. O arroz integral é rico em vitamina E, vitaminas do grupo B, cálcio , fósforo e magnésio. As fibras alimentares contidas no arroz Bom Sucesso Integral fazem parte de uma alimentação saudável.
   

Baby Rice

Em termos meramente organolépticos, a sua consistência macia e sedosa e o seu sabor capaz de incorporar os mais delicados temperos, fazem dele o arroz mais indicado para fazer parte dos menus sólidos de um bébé a partir dos 6 meses e para acompanhar a sua alimentação até à adolescência.
Mas é na segurança e pureza da sua composição que o Baby Rice se destaca de todas as outras marcas de arroz disponíveis no mercado. O Baby Rice é o arroz genuíno, como a Natureza o criou."





Arroz para Sushi
O Bom Sucesso para Sushi é o único arroz 100% Nacional, produzido exclusivamente na lezírias ribatejanas pelo maior produtor de arroz em Portugal, que encontrou nas ensolaradas margens do rio Tejo as condições ideais para o seu crescimento. Os grãos consistentes, redondos e volumosos, apresentam uma grande capacidade de absorção sem perder a forma, tornando este arroz num dos principais utilizados na preparação de sushi em todo o mundo.

Arroz para Risotto

O Bom Sucesso para Risotto é o único arroz 100% Nacional, produzido exclusivamente nas lezírias ribatejanas pelo maior produtor de arroz em Portugal. Uma evolução do arroz arboreo com muito mais amido, encontrou nas ensolaradas margens do rio Tejo as condições ideais para o seu crescimento. Os grãos consistentes, longos e volumosos, apresentam uma grande capacidade de absorção sem perder a forma, tornando este arroz num dos principais utilizados na preparação de risotto em todo o mundo. "


Para conheceres melhor esta excelente empresa visita o site. Acompanha também todas as novidades na página de Facebook
Vale a pena estreitar algumas das notícias que encontramos pela internet:
  • http://omirante.pt/semanario/2016-05-12/economia/2016-05-12-Orivarzea-certificada--a-nivel-de-seguranca-alimentar-e-ambiente
  • http://sicnoticias.sapo.pt/programas/economiaverde/2014-10-15-Central-solar
  • http://www.revistaport.com/exportacao-de-arroz-carolino-aumenta-quase-100-num-ano/







Agradeço à Orivárzea-Bom Sucesso os miminhos que me foram enviados, toda a disponibilidade, simpatia e profissionalismo, em especial ao Sr. Jorge Parreira (Direcção Comercial e Marketing) e ao Sr. Filipe Ventura (Delegado Comercial).



sexta-feira, 15 de julho de 2016

Overnight Oat de Melôa Cantalupe, Pêssego Vermelho e Damasco com Hortelã





Receita Overnight Oat de Melôa Cantalupe, Pêssego Vermelho e Damasco com Hortelã

Ingredientes (1pessoa):
3 c.sopa de Flocos de Aveia
6 c.sopa de Leite Magro
120g de Iogurte Grego Natural
1 c.chá de Sementes de Chia
1 talhada de Melôa Cantalupe
1/2 Pêssego Vermelho
1 Damasco
2 folhinhas de Hortelã

Confecção:
Num frasco de vidro colocar os flocos de aveia e o leite, misturar envolvendo bem.
Adicionar o iogurte com as sementes de chia por cima da mistura anterior.
Fechar o frasco e deixar repousar no frigorífico durante a noite. 
No dia seguinte, cortar as frutas aos cubinhos.
Distribuir a fruta por cima do iogurte.
Polvilhar com hortelã finamente picada.




Parceiro do Blog - Loja do Sal



"A Loja do Sal é uma história 100% portuguesa, escrita ao longo de quatro gerações, com os cristais de sal puro e o homem como principais protagonistas.
É uma história de paixão, de valores, de respeito pela natureza e por tudo o que de melhor ela tem para nos oferecer.
As Salinas Naturais de Rio Maior inserem-se em plena área protegida, rodeadas de fauna e flora.
Entre serras, o sol e a água concorrem harmoniosamente, produzindo o melhor de todo o sal.
Este é recolhido através de processos artesanais, 100% natural, cuidadosamente embalado como em anos remotos.
Um lugar de emoções..." 
Esta é a definição perfeita da mais nova parceria do Vamos Petiscar.
Uma empresa portuguesa... uma empresa familiar... uma empresa em constante inovação e que já conta com inúmeros prémios em vários produtos.
Vem conhecê-la melhor!! 



Um pouco de História…
“As salinas naturais de Rio Maior, chamadas Marinhas de Sal, encontram-se em pleno sopé da Serra dos Candeeiros e  situadas a 3 kms da sede de concelho. Constituem uma das principais referências da localidade e são um orgulho para Rio Maior, por serem as únicas do género no mundo ainda em exploração. Estas salinas estão consideradas como Imóvel de Interesse Público, no contexto do Património Cultural Português. Rodeadas de arvoredo e terras de cultivo, as Marinhas de Sal apresentam-se como uma minúscula aldeia de ruas de pedra e casas de madeira, onde se destacam uns peculiares tanques de formas e dimensões irregulares, que a partir da primavera se enchem de água salgada e dão origem a uma perfeição da natureza.
Há referências às salinas de Rio Maior desde 1177, em documentos escritos que são aliás os mais antigos sobre Rio Maior. Em 1177, Pero d’Aragão e a sua mulher Sancha Soares terão vendido uma parte do poço e das salinas à Ordem dos Templários. Essa Ordem depois deverá ter doado a pessoas das aldeias em redor. A partir daí as salinas tem passado de geração em geração. É uma propriedade que tem 22 mil metros quadrados e tem cerca de 90 proprietários.
Sabe se também que D. Afonso V era proprietário de cinco talhos nas salinas de Rio Maior no século XV e que recebia um quarto de toda a produção, tendo o monopólio da sua venda. A importância económica das salinas para a região, está bem vincada nas duas pirâmides de sal retratadas no Brasão da cidade de Rio Maior.”
Sal sem mar…
“Estas salinas são únicas no país e são fruto de uma maravilha da natureza. O sal provém de uma extensa e profunda jazida de sal-gema, que é atravessada por uma corrente subterrânea de água doce, que depois se torna salgada. Trata-se de sal puro (99% de cloreto de sódio) que é recolhido nos talhos pelos salineiros. O poço tem 9 metros de profundidade e 3,75 de diâmetro.
A água desta nascente é sete vezes mais salgada que a água do mar e era retirada com ajuda de duas enormes picotas ou “cegonhas” há bem pouco tempo. Estes engenhos são um legado árabe com certeza, pois foram estes que os introduziram na Europa. Aliás, é de crer que os romanos e depois os árabes, tenham explorado em grande escala estas salinas.
O trabalho nas salinas é sazonal, ocorrendo apenas durante a época estival, altura em que os habitantes das redondezas descem a encosta da Serra dos Candeeiros, para a milenar labuta do “sal sem mar”. Aqui podem ser apreciadas as pirâmides de sal e todo o conjunto de casas típicas de madeira, que fazem das salinas naturais um museu vivo com mais de oitocentos anos de História.
Nas Marinhas de Sal, o trabalho é idêntico ao que se faz à beira mar. Mas é diferente o ambiente campestre e as casinhas em madeira em redor. Diferente é também o próprio estilo dos salineiros e, claro, o poço que vemos ao centro, junto ao qual estão ainda colocadas, simbolicamente, duas picotas. Actualmente, é retirada com a ajuda de um motor e colocada, numa primeira fase, em concentradores, depósitos através dos quais a água vai evaporando. Daí segue para os talhos, onde repousa durante alguns dias em que se começa a formar a Flor de Sal, até evaporar por completo. Forma se então no local um autêntico manto branco. O sal está pronto para ser colocado, em forma de pirâmide, nas chamadas eiras, onde fica a secar durante 60 horas. Por fim é recolhido, embalado e comercializado.”

Para conheceres melhor esta excelente empresa visita o site. Acompanha também todas as novidades na página de Facebook
Vale a pena estreitar algumas das notícias que encontramos pela internet:




















Agradeço à Loja do Sal os miminhos, toda a simpatia, disponibilidade e profissionalismo, em especial aos manos João e Luís Lopes.

Os miminhos:
  • Cristais de Sal Puro 3kgs
  • Cristais de Sal Puro 1kg (3)
  • Flor de Sal 250g
  • Queijo de Flor de Sal com Pimenta 100g
  • Flor de Sal com Tempero para Saladas 125g
  • Sal com Tempero para Carne Grelhada 225g
  • Flor de Sal 225g
  • Sal 225g











terça-feira, 12 de julho de 2016

Cestinhas Folhadas de Figo e Chèvre com Amêndoa e Tomilho





 Receita Cestinhas Folhadas de Figo e Chèvre com Amêndoa e Tomilho

Ingredientes:
1 Massa Folhada Rectangular
2 Figos Grandes
Queijo Chèvre q.b.
1 Ovo
Miolo de Amêndoa q.b.
Mel q.b.
Tomilho Fresco q.b.

Confecção:
Pré aquecer o forno a 200ºC.
Desenrolar a massa folhada e cortar 8 círculos com um cortante.
Forrar cada forminha de silicone com um círculo de massa folhada. 
Lavar e cortar os figos em quartos. 
Colocar um quarto de figo em cada cestinha.
Pincelar a massa folhada com um pouco de ovo batido.
Cortar aos cubinhos o queijo chèvre e distribuir pelas cestinhas.
Picar grosseiramente um punhado de miolo de amêndoa e polvilhar as cestinhas.
Levar a cozer ao forno cerca de 20 a 30 minutos, até ficarem douradinhas a gosto.
Servir regadas com mel a gosto e polvilhadas com folhinhas de tomilho fresco.




domingo, 10 de julho de 2016

Panquecas de Cenoura e Nectarina com Iogurte





Receita de Panquecas de Cenoura e Nectarina com Iogurte 

Ingredientes:
250g de Iogurte Grego Natural
2 Ovos
1 Cenoura
1 Nectarina
2 c.sopa de Açúcar Amarelo
1 pitada de Flor de Sal
100g de Flocos de Aveia
20g de Farinha de Trigo Integral
1 Limão (raspa)
1 c.sobremesa de Fermento em Pó

Confecção:
Lavar, descascar e cortar aos pedaços, a cenoura e a nectarina retirando o caroço da mesma.
Colocar todos os ingredientes no copo do robot de cozinha ou liquidificador.
Triturar muito bem até obter uma massa homogénea.
Aquecer uma frigideira anti-aderente e pincelar com um pouco de azeite.
Deitar uma colher de massa e cozinhar em lume médio até que cresça e fique douradinha, cerca de 2 a 3 minutos.
Virar e cozinhar por mais 2 minutos.
Repetir esta operação até terminar a massa.
Servir as panquecas polvilhadas com açúcar em pó, canela moída e fruta fresca laminada.